terça-feira, 13 de dezembro de 2011

E Se Jesus fosse NEOPENTECOSTAL

E Se Jesus fosse NEOPENTECOSTAL


Felipe Almada, no blog Fé & Razão 



Se Jesus fosse neopentecostal, não venceria satanás pela palavra, mas teria o repreendido, o amarrado, mandado ajoelhar, dito que é derrotado, feito uma sessão de descarrego durante 7 terças-feiras, aí sim ele sairia. (Mt 4:1-11)





Se Jesus fosse neopentecostal, não teria feito simplesmente o “sermão da montanha”, mas teria realizado o Grande Congresso Galileu de Avivamento Fogo no Monte, cuja entrada seria apenas 250 Dracmas divididas em 4 vezes sem juros. (Mt 5:1-11)





Se Jesus fosse neopentecostal, jamais teria dito, no caso de alguém bater em uma de nossa face, para darmos a outra; Ele certamente teria mandado que pedíssemos fogo consumidor do céu sobre quem tivesse batido pois “ai daquele que tocar no ungido do senhor” (MT 5 :38-42)





Se Jesus fosse neopentecostal, não teria curado o servo do centurião de cafarnaum à distância, mas o mandaria levar o tal servo em uma de suas reuniões de milagres e lhe daria uma toalhinha ungida para colocar sobre o seu servo durante 7 semanas, aí sim, ele seria curado. (Mt 8: 5-13)





Se Jesus fosse neopentecostal, não teria multiplicado pães e peixes e distribuído de graça para o povo, de jeito nenhum!! Na verdade o pão ou o peixe seriam “adquiridos” através de uma pequena oferta de no mínimo 50 dracmas e quem comesse o tal pão ou peixe milagrosos seria curado de suas enfermidades. (Jo 6:1-15)





Se Jesus fosse neopentecostal, ele até teria expulsado os cambistas e os que vendiam pombas no templo, mas permaneceria com o comércio, desta vez sob sua gerência. (MT 21:12-13)





Se Jesus fosse neopentecostal, quando os fariseus o pedissem um sinal certamente ele imediatamente levantaria as mãos e de suas mãos sairiam vários arco-íris, um esplendor de fogo e glória se formaria em volta dele que flutuaria enquanto anjos cantarolavam: “divisa de fogo varão de guerra, ele desceu a terra, ele chegou pra guerrear”. E repetiria tal performance sempre que solicitado. (Mt 16:1-12)





Se Jesus fosse neopentecostal, nunca teria tido para carregarmos nossa cruz, perdermos nossa vida para ganhá-la, mas teria dito que nascemos para vencer e que fazemos parte da geração de conquistadores, e que todos somos predestinados para o sucesso. E no final gritaria: receeeeeeebaaaaaa! (Lc 9:23)





Se Jesus fosse neopentecostal, não teria curado a mulher encurvada imediatamente, mas teria a convidado para a Escola de Cura para o aprender os 7… veja bem, os 7 passos para receber a cura divina. (LC 13:10-17)





Se Jesus fosse neopentecostal, de forma alguma teria entrado em Jerusalém montado num jumento, mas teria entrado numa carruagem real toda trabalhada em pedras preciosas, com Poncio Pilatos, Herodes e a cantora Maria Madalena cantando hinos de vitória “liberando” a benção sobre Jerusalém. E o povo não o receberia declarando Hosana! Mas marchariam atrás da carruagem enquanto os apóstolos contariam quantos milhões de pessoas estavam na primeira marcha pra Jesus. (MT 21:1-15)





Se Jesus fosse neopentecostal, ao curar o leproso (Mc 1:40-45), este não ficaria curado imediatamente, mas durante a semana enquanto ele continuasse crendo. Pois se parasse de crer.. aiaiaiai





Se Jesus fosse neopentecostal, não teria expulsado o demônio do geraseno com tanta facilidade, Ele teria realizado um seminário de batalha espiritual para, a partir daí se iniciar o processo de libertação daquele jovem. (Mc 5:1-20)





Se Jesus fosse neopentecostal, o texto seria assim: “ Mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um pobre entrar no reio dos céus” (Mt 19:22-24)





Se Jesus fosse neopentecostal, não teria transformado água em vinho, mas em Guaraná Dolly. (Jo 2:1-12)





Se Jesus fosse neopentecostal, ele teria sim onde recostar sua cabeça e moraria no bairro onde estavam localizados os palácios mais chiques e teria um castelo de verão no Egito. (Mt 8:20)





Se Jesus fosse neopentecostal, Zaqueu não teria devolvido o que roubou, mas teria doado seu ao ministério. (Lc 19:1-10)




Se Jesus fosse neopentecostal, não diria que no mundo teríamos aflições, mas diria que teríamos sucesso, honra, vitória, sucesso, riquezas, sucesso, prosperidade, honra…. (Jo 16:33)





Se Jesus fosse neopentecostal, ele seria amigo de Pôncio Pilatos, apoiaria Herodes e só falaria o que os fariseus quisessem ouvir.





Certamente, Se Jesus fosse neopentecostal, não sofreria tanto nem morreria por mim nem por você… Ele estaria preocupado com outras coisas. Ainda bem que não era.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Links interessantes.

Li alguns textos interessantes e gostaria de colocar aqui o link de dois textos que gostei bastante.

Pastor pode cobrar pra pregar?
http://www.creio.com.br/2008/noticias01.asp?noticia=16363
E se Jesus fosse Neopentencostal?
http://sacerdocioperene.blogspot.com/2011/10/e-se-jesus-fosse-neopentecostal.html
Vídeo de desafio sobre prosperidade material.
http://www.youtube.com/watch?v=OaIhI8GkP_w&feature=related

Assista este vídeo e leia estes textos para edificar ainda mais a sua vida. Um abraço.

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

OS PILARES DA FÉ PROTESTANTE

Meus irmãos, no dia 31 de outubro de 1517 o monge agostiniano Martinho Lutero pregou na porta de Wittemberg as chamadas "95 teses". Lutero estava dando início a fé protestante sustentada em cinco pilares, como texto base ele citou:
"Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego. Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá da fé." Romanos 1:16-17.
As cinco fases da fé protestante é:

SOLA SCRIPTURA

Somente a Bíblia sagrada é a nossa regra de fé, nenhuma outra literatura ou livro deve ser base da nossa fé, todos os ensinamentos cristãos devem estar pautado na Bíblia, ela é infalível e suficiente, não devemos seguir a tradição ou outros livros como tendo caráter sagrado e que complementam a Palavra de Deus.

SOLO CHRISTUS

Somente Cristo é o caminho, ele é a verdade e a vida, o único que devemos adorar e entregar a nossa vida, dele provém a salvação através da fé na sua morte expiatória e ressurreição. Outras pessoas não são dignas de nossa adoração. Creia em Cristo e viva para fazer a vontade dele e andaremos no caminho da vida. 

SOLA GRATIA

A graça de Deus é o favor imerecido de Deus por nós pecadores, nao mereciamos receber nada de Deus, ele nos amou sendo nós pecadores, nos resgatou e não merecíamos, todas as bençãos que ele nos dá é pela sua graça. Não necessitamos pagar promessas, fazer sacrificios de tolo ou supertições "cristãs", mas nos contentarmos com a Graça do Senhor sobre a nossa vida. 

SOLA FIDE

Somente pela fé que podemos ser salvo, a fé em Cristo Jesus, e não as nossas obras.Esta fé é dom de Deus, por isso precisamos crer, sem fé é impossível agradar a Deus.

SOLI DEL GLÓRIA

Somente a Deus devemos dar glória, a ele todo o louvor e adoração, entregue a ele os seus caminhos, a sua força e glorifique a ele em tudo porque o Criador, o todo Poderoso é digno de toda a adoração e o Senhor diz na Palavra que ele não reparte a sua glória com ninguém, Glória a Deus. 


domingo, 23 de outubro de 2011

CURA DIVINA


 ESTUDO SOBRE CURA DIVINA

TEXTO ÁUREO:

“E disse Pedro: Não tenho prata nem ouro; mas o que tenho isso te dou. Em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, levanta-te e anda.”
                                                                                                (Atos 3:6).

Este assunto é polêmico e muito discutido nos círculos de estudo cristão. Há várias divergências no meio pentecostal e tradicional acerca da cura divina; neste estudo traremos uma abordagem pentecostal e fundamentada naquilo que diz a Bíblia Sagrada, sem ignorar textos e levar a interpretações extremas e fanáticas.

Seqüência de assuntos:
  1. A Origem das enfermidades.
  2. A Provisão de Deus na enfermidade.
  3. A cura no Antigo Testamento.
  4. O ministério de Cristo em relação à cura.
  5. O ministério de cura da Igreja.
  6. Empecilhos para receber a cura.
  7. Como comportar-se quando pedimos a cura divina?
  8. Observações importantes sobre o assunto.


A Origem das enfermidades está relacionada à queda do homem no Éden, ou seja, quando Adão pecou, ocorreu profundas conseqüências na vida do homem e uma delas foi justamente o surgimento da morte e das enfermidades na vida do próprio homem, é como, por exemplo, na mitologia grega, ele “abriu a caixa de Pandora” *. Daí surgirem todos os males e enfermidades que afligem a humanidade. A medicina atribui a origem das enfermidades a causas orgânicas e psicológicas, e não crêem que uma enfermidade tenha origem espiritual e somente com um tratamento espiritual ela pode sair da vida de alguém; mas na realidade as causas das enfermidades podem ser classificadas em dois aspectos: O pecado e sua natureza pecaminosa, decorrente da queda de Adão; “E estava ali um homem que, havia trinta e oito anos, se achava enfermo. E Jesus, vendo este deitado, e sabendo que estava neste estado havia muito tempo, disse-lhe: Queres ficar são? O enfermo respondeu-lhe: Senhor, não tenho homem algum que, quando a água é agitada, me ponha no tanque; mas, enquanto eu vou, desce outro antes de mim. Jesus disse-lhe: Levanta-te, toma o teu leito, e anda. Logo aquele homem ficou são; e tomou o seu leito, e andava. E aquele dia era sábado. Então os judeus disseram àquele que tinha sido curado: É sábado, não te é lícito levar o leito. Ele respondeu-lhes: Aquele que me curou, ele próprio disse: Toma o teu leito, e anda. Perguntaram-lhe, pois: Quem é o homem que te disse: Toma o teu leito, e anda? E o que fora curado não sabia quem era; porque Jesus se havia retirado, em razão de naquele lugar haver grande multidão. Depois Jesus encontrou-o no templo, e disse-lhe: Eis que já estás são; não peques mais, para que não te suceda alguma coisa pior.” (João 5:5-14). E o outro aspecto é satanás; “Como Deus ungiu a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e com virtude; o qual andou fazendo bem, e curando a todos os oprimidos do diabo, porque Deus era com ele.”. (Atos 10:38). “E um da multidão, respondendo, disse: Mestre, trouxe-te o meu filho, que tem um espírito mudo; E este, onde quer que o apanha, despedaça-o, e ele espuma, e range os dentes, e vai definhando; e eu disse aos teus discípulos que o expulsassem, e não puderam. E ele, respondendo-lhes, disse: Ó geração incrédula! até quando estarei convosco? até quando vos sofrerei ainda? Trazei-mo. E trouxeram-lho; e quando ele o viu, logo o espírito o agitou com violência, e, caindo o endemoninhado por terra, revolvia-se, escumando. E perguntou ao pai dele: Quanto tempo há que lhe sucede isto? E ele disse-lhe: Desde a infância. E muitas vezes o tem lançado no fogo, e na água, para o destruir; mas, se tu podes fazer alguma coisa, tem compaixão de nós, e ajuda-nos. E Jesus disse-lhe: Se tu podes crer, tudo é possível ao que crê. E logo o pai do menino, clamando, com lágrimas, disse: Eu creio, Senhor! ajuda a minha incredulidade. E Jesus, vendo que a multidão concorria, repreendeu o espírito imundo, dizendo-lhe: Espírito mudo e surdo, eu te ordeno: Sai dele, e não entres mais nele.” (Marcos 9:17-25). “E eis que estava ali uma mulher que tinha um espírito de enfermidade, havia já dezoito anos; e andava curvada, e não podia de modo algum endireitar-se.” (Lucas 13:11). “E Deus pelas mãos de Paulo fazia maravilhas extraordinárias. De sorte que até os lenços e aventais se levavam do seu corpo aos enfermos, e as enfermidades fugiam deles, e os espíritos malignos saíam.” (Atos 19:11-12).
Agora, sabendo da origem das enfermidades, vamos ver que Deus dá a provisão na enfermidade, o ministério de JESUS está repleto de exemplos de cura divina, pois o mesmo é provedor diante da enfermidade, e não somente a enfermidade, mas o pecado e a morte, dois males que também adentraram na vida do homem depois da queda de Adão. “BENDIZE, ó minha alma, ao SENHOR, e tudo o que há em mim bendiga o seu santo nome. Bendize, ó minha alma, ao SENHOR, e não te esqueças de nenhum de seus benefícios. Ele é o que perdoa todas as tuas iniqüidades, que sara todas as tuas enfermidades, Que redime a tua vida da perdição; que te coroa de benignidade e de misericórdia, Que farta a tua boca de bens, de sorte que a tua mocidade se renova como a da águia.” (Salmos 103:1-5). “O Espírito do Senhor é sobre mim, Pois que me ungiu para evangelizar os pobres. Enviou-me a curar os quebrantados do coração,” (Lucas 4:18). “E aconteceu que, num daqueles dias, estava ensinando, e estavam ali assentados fariseus e doutores da lei, que tinham vindo de todas as aldeias da Galiléia, e da Judéia, e de Jerusalém. E a virtude do Senhor estava com ele para curar. E eis que uns homens transportaram numa cama um homem que estava paralítico, e procuravam fazê-lo entrar e pô-lo diante dele. E, não achando por onde o pudessem levar, por causa da multidão, subiram ao telhado, e por entre as telhas o baixaram com a cama, até ao meio, diante de Jesus. E, vendo ele a fé deles, disse-lhe: Homem, os teus pecados te são perdoados. E os escribas e os fariseus começaram a arrazoar, dizendo: Quem é este que diz blasfêmias? Quem pode perdoar pecados, senão só Deus? Jesus, porém, conhecendo os seus pensamentos, respondeu, e disse-lhes: Que arrazoais* em vossos corações? Qual é mais fácil? dizer: Os teus pecados te são perdoados; ou dizer: Levanta-te, e anda? Ora, para que saibais que o Filho do homem tem sobre a terra poder de perdoar pecados (disse ao paralítico), a ti te digo: Levanta-te, toma a tua cama, e vai para tua casa. E, levantando-se logo diante deles, e tomando a cama em que estava deitado, foi para sua casa, glorificando a Deus. E todos ficaram maravilhados, e glorificaram a Deus; e ficaram cheios de temor, dizendo: Hoje vimos prodígios.” (Lucas 5:17-26). “Está alguém entre vós doente? Chame os presbíteros da igreja, e orem sobre ele, ungindo-o com azeite em nome do Senhor; E a oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados.” (Tiago 5:14-15).
A cura no Antigo Testamento também é necessário ser frisado neste estudo que Deus em todo o Antigo Testamento mostra-se um Deus provedor e que cuida do seu povo em todos os sentidos, inclusive no que se refere às enfermidades. “E disse: Se ouvires atento a voz do SENHOR teu Deus, e fizeres o que é reto diante de seus olhos, e inclinares os teus ouvidos aos seus mandamentos, e guardares todos os seus estatutos, nenhuma das enfermidades porei sobre ti, que pus sobre o Egito; porque eu sou o SENHOR que te sara.” (Êxodo 15:26). Podemos ver que Deus cuidava do povo de Israel se os mesmos continuassem fiéis aos seus mandamentos, na Bíblia, vemos Mirian que por desobedecer ao Senhor sofreu pesada enfermidade, além de muitos outros casos de pragas e males por desobediência, porém, vemos também que o povo que permaneceu fiel a Deus não sofreu nenhuma enfermidade.
 O ministério de Cristo em relação à cura; vimos em versículos anteriores o interesse de Cristo em curar enfermos, na Bíblia, são inúmeros casos de pessoas curadas como: O cego Bartimeu, o paralítico do tanque de Betesda*, a sogra de Pedro, o leproso do templo, Lázaro, a orelha de Malco, a mulher do fluxo de sangue, o paralítico que veio pelo telhado, o cego do tanque de Siloé*, enfim, inúmeros casos e exemplos; todos podem se resumir naquilo que disse o profeta Isaías acerca do Messias: “Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido.” (Isaías 53:4).
Depois que Cristo ascendeu aos céus, a sua Igreja com Poder e autoridade dada por ele tinha agora a missão de levar adiante o ministério do Mestre, que correspondia anunciar as boas novas aos cativos, repreender toda ação inimiga na vida das pessoas e orar por aqueles que se encontram enfermos para serem curados, isto fizeram muito bem os apóstolos e vários outros cristãos da Igreja Primitiva. “E, CONVOCANDO os seus doze discípulos, deu-lhes virtude e poder sobre todos os demônios, para curarem enfermidades. E enviou-os a pregar o reino de Deus, e a curar os enfermos.” (Lucas 9:1-2). “E, saindo eles, percorreram todas as aldeias, anunciando o evangelho, e fazendo curas por toda a parte.” (Lucas 9:6). “E DEPOIS disto designou o Senhor ainda outros setenta, e mandou-os adiante da sua face, de dois em dois, a todas as cidades e lugares aonde ele havia de ir.” (Lucas 10:1). “E, em qualquer cidade em que entrardes, e vos receberem, comei do que vos for oferecido. E curai os enfermos que nela houver, e dizei-lhes: É chegado a vós o reino de Deus.” (Lucas 10:8-9). “E PEDRO e João subiam juntos ao templo à hora da oração, a nona. E era trazido um homem que desde o ventre de sua mãe era coxo, o qual todos os dias punham à porta do templo, chamada Formosa, para pedir esmola aos que entravam. O qual, vendo a Pedro e a João que iam entrando no templo, pediu que lhe dessem uma esmola. E Pedro, com João, fitando os olhos nele, disse: Olha para nós.E olhou para eles, esperando receber deles alguma coisa. E disse Pedro: Não tenho prata nem ouro; mas o que tenho isso te dou. Em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, levanta-te e anda. E, tomando-o pela mão direita, o levantou, e logo os seus pés e artelhos se firmaram. E, saltando ele, pôs-se em pé, e andou, e entrou com eles no templo, andando, e saltando, e louvando a Deus. E todo o povo o viu andar e louvar a Deus; E conheciam-no, pois era ele o que se assentava a pedir esmola à porta Formosa do templo; e ficaram cheios de pasmo e assombro, pelo que lhe acontecera.” (Atos 3:1-10). “Enquanto estendes a tua mão para curar, e para que se façam sinais e prodígios pelo nome de teu santo Filho Jesus.” (Atos 4:30). “E até das cidades circunvizinhas concorria muita gente a Jerusalém, conduzindo enfermos e atormentados de espíritos imundos; os quais eram todos curados.” (Atos 5:16). “Pois que os espíritos imundos saíam de muitos que os tinham, clamando em alta voz; e muitos paralíticos e coxos eram curados.” (Atos 8:7). A igreja pode ministrar a cura na vida das pessoas através de três maneiras: com a imposição das mãos; “E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado. E estes sinais seguirão aos que crerem: Em meu nome expulsarão os demônios; falarão novas línguas; Pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfermos, e os curarão.” (Marcos 16:15-18). “E Ananias foi, e entrou na casa e, impondo-lhe as mãos, disse: Irmão Saulo, o Senhor Jesus, que te apareceu no caminho por onde vinhas, me enviou, para que tornes a ver e sejas cheio do Espírito Santo.” (Atos 9:17). A confissão de pecados realizados e a unção do enfermo com óleo pelos presbíteros da igreja; “Está alguém entre vós doente? Chame os presbíteros da igreja, e orem sobre ele, ungindo-o com azeite em nome do Senhor; E a oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados. Confessai as vossas culpas uns aos outros, e orai uns pelos outros, para que sareis. A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos.” (Tiago 5:14-16). E por último, através dos dons espirituais que são distribuídos à igreja. “E a outro, pelo mesmo Espírito, a fé; e a outro, pelo mesmo Espírito, os dons de curar;” (I Coríntios 12:9).
Há vários Empecilhos para receber a cura, em forma de tópicos, vamos citar os principais:
·         Pecado não confessado.
·         Opressão do diabo
·         Medo ou intensa ansiedade.
·         O povo
·         Insucessos no passado que debilitam a fé hoje
·         Ensino herege
·         Negligência dos presbíteros na oração da fé
·         Descuido e desinteresse da igreja em buscar os dons de curar
·         Incredulidade
·         Irreverência com as coisas santas do Senhor.
Agora, vejamos trechos bíblicos que fundamentam as afirmações acima:
“Confessai as vossas culpas uns aos outros, e orai uns pelos outros, para que sareis. A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos.” (Tiago 5:16). “E eis que estava ali uma mulher que tinha um espírito de enfermidade, havia já dezoito anos; e andava curvada, e não podia de modo algum endireitar-se. E, vendo-a Jesus, chamou-a a si, e disse-lhe: Mulher, estás livre da tua enfermidade. E pôs as mãos sobre ela, e logo se endireitou, e glorificava a Deus.” (Lucas 13:11-13). “Confia no SENHOR de todo o teu coração, e não te estribes no teu próprio entendimento. Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas. Não sejas sábio a teus próprios olhos; teme ao SENHOR e aparta-te do mal. Isto será saúde para o teu âmago, e medula para os teus ossos.” (Provérbios 3:5-8). “Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus.” (Filipenses 4:6-7). “E que havia padecido muito com muitos médicos, e despendido tudo quanto tinha, nada lhe aproveitando isso, antes indo a pior;” (Marcos 5:26). “E estava ali um homem que, havia trinta e oito anos, se achava enfermo. E Jesus, vendo este deitado, e sabendo que estava neste estado havia muito tempo, disse-lhe: Queres ficar são? O enfermo respondeu-lhe: Senhor, não tenho homem algum que, quando a água é agitada, me ponha no tanque; mas, enquanto eu vou, desce outro antes de mim.” (João 5:5-7). “E muitos o repreendiam, para que se calasse; mas ele clamava cada vez mais: Filho de Davi! tem misericórdia de mim.” (Marcos 10:48). “E OUTRA vez entrou na sinagoga, e estava ali um homem que tinha uma das mãos mirrada. E estavam observando-o se curaria no sábado, para o acusarem. E disse ao homem que tinha a mão mirrada: Levanta-te e vem para o meio. E perguntou-lhes: É lícito no sábado fazer bem, ou fazer mal? salvar a vida, ou matar? E eles calaram-se. E, olhando para eles em redor com indignação, condoendo-se da dureza do seu coração, disse ao homem: Estende a tua mão. E ele a estendeu, e foi-lhe restituída a sua mão, sã como a outra.” (Marcos 3:1-5). “Não é este o carpinteiro, filho de Maria, e irmão de Tiago, e de José, e de Judas e de Simão? e não estão aqui conosco suas irmãs? E escandalizavam-se nele. E Jesus lhes dizia: Não há profeta sem honra senão na sua pátria, entre os seus parentes, e na sua casa. E não podia fazer ali obras maravilhosas; somente curou alguns poucos enfermos, impondo-lhes as mãos. E estava admirado da incredulidade deles. E percorreu as aldeias vizinhas, ensinando.” (Marcos 6:3-6). “Porque o que come e bebe indignamente, come e bebe para sua própria condenação, não discernindo o corpo do Senhor. Por causa disto há entre vós muitos fracos e doentes, e muitos que dormem.” (I Coríntios 11:29-30).
Como comportar-se quando pedimos a cura divina? Em primeiro lugar, ter certeza que está em comunhão com o Senhor e com o próximo; “Confessai as vossas culpas uns aos outros, e orai uns pelos outros, para que sareis. A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos.” (Tiago 5:16). Buscar a presença de Deus em sua vida; “Porque pela graça que me é dada, digo a cada um dentre vós que não pense de si mesmo além do que convém; antes, pense com moderação, conforme a medida da fé que Deus repartiu a cada um.” (Romanos 12:3). Preencher a sua mente com a santa Palavra do Senhor; “Se vós estiverdes em mim, e as minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito.” (João 15:7). Participar da oração da fé, realizada pelos presbíteros, assistir aos cultos com alguém que tem comprovadamente os dons de curar; ficar na expectativa de um milagre, ou seja, confiar no poder de Cristo. Caso não aconteça a cura, regozijar-se em Deus e glorificá-lo da mesma forma.
Algumas observações importantes sobre o assunto: Não quero dizer nesse estudo que aquele que se encontra enfermo está necessariamente em pecado ou oprimido pelo diabo, como muitas igrejas neopentecostais ensinam; há na Bíblia pessoas fiéis a Deus que padeceram enfermidades como o Apóstolo Paulo, Epafrodito, entre outros; há enfermidades que estão inseridas em um grande propósito divino, este propósito nós desconhecemos, mas sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que a Deus temem, também não quero dizer que Deus coloca enfermidade nas pessoas, mas, as permite que ocorram na vida de muitos por diversos motivos, já citados neste estudo. Só mais uma observação: há pessoas que mesmo fiéis a Deus, cometem descuidos que podem gerar neles uma enfermidade; por exemplo: alguém que adoeça com o vírus da dengue, pode ser uma permissão divina para algum propósito, pode ser ação maligna, pode ser conseqüência de algum pecado, ou pode ser simplesmente porque a pessoa não se preveniu com os devidos cuidados e deixou o mosquito transmissor do vírus da dengue se reproduzir; devemos entender que vivemos em um mundo em que estamos sujeitos a contaminações, epidemias, devido a nossa condição humana e devemos nos lembrar que aquilo que sucede ao ímpio, sucede também ao justo. “E vós sabeis que primeiro vos anunciei o evangelho estando em fraqueza da carne; E não rejeitastes, nem desprezastes isso que era uma tentação na minha carne, antes me recebestes como um anjo de Deus, como Jesus Cristo mesmo.” (Gálatas 4:13-14). “Não bebas mais água só, mas usa de um pouco de vinho, por causa do teu estômago e das tuas freqüentes enfermidades.” (I Timóteo 5:23). “Erasto ficou em Corinto, e deixei Trófimo doente em Mileto.” (2 Timóteo 4:20).

Lembrando: o tratamento médico e uso dos remédios NÃO são reprovados pela Bíblia Sagrada.

sábado, 15 de outubro de 2011

LIBERTINAGEM E LEGALISMO


Neste texto, faço uma análise sobre a Libertinagem e o legalismo, então vamos lá...

Primeiramente vamos ver o que é libertinagem.
“Devassidão, desregramento, licenciosidade, crápula”.
                                                                       (Dicionário Aurélio).

Todo tipo de devassidão, viver dissolutamente, como próprio deseja, sem submeter-se a regras ou autoridades, podemos chamar de libertinagem. A libertinagem não é um problema atual, mas de muitíssimos anos; nos tempos de Cristo e Paulo, na igreja havia exemplos de libertinos, ou seja, aqueles que praticam a libertinagem. Porém, em dias atuais, a libertinagem tem-se multiplicado a tal ponto de vermos ministérios que se dizem cristãos, fundamentados exclusivamente em doutrinas libertinas, como a igreja Meninos de Deus, por exemplo.
Há várias frases de libertinos, vamos citar algumas:

  “Não tem problema em ir a uma festa, o próprio Cristo quando fez o primeiro milagre, estava em uma festa mundana com incrédulos.”
                                                                 
“Não há problema eu namorar várias garotas em uma noite, ou ver revista pornográfica, pois tudo para o impuro é impuro, e tudo para o puro é puro.”

“Quem disse que beber é pecado? O próprio Noé já bebeu uma grande”.

“Que é que tem se ela usa esta roupa indecente? O homem vê a aparência, mas Deus conhece o coração”.

“Se eu uso esta roupa curta, se escuto estas músicas com letras profanas, é questão de usos e costumes”.

“O que importa é o interior, e não julgue para não ser julgado.”


Muitos desses argumentos acima, em sua maioria são utilizados pelos libertinos com base em textos da Bíblia distorcidos de sua real interpretação. Vamos ver o que a Bíblia fala sobre libertinagem: “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas edificam.” (I Coríntios 10:23). “Já por carta vos tenho escrito, que não vos associeis com os que se prostituem; Isto não quer dizer absolutamente com os libertinos deste mundo, ou com os avarentos, ou com os roubadores, ou com os idólatras; porque então vos seria necessário sair do mundo. Mas agora vos escrevi que não vos associeis com aquele que, dizendo-se irmão, for libertino, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com o tal nem ainda comais. Porque, que tenho eu em julgar também os que estão de fora? Não julgais vós os que estão dentro? Mas Deus julga os que estão de fora. Tirai, pois, dentre vós a esse iníquo.” (I Coríntios 5:9-13). “Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus? Não erreis: nem os libertinos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas,” (I Coríntios 6:9). “E, poucos dias depois, o filho mais novo, ajuntando tudo, partiu para uma terra longínqua, e ali desperdiçou os seus bens, vivendo dissolutamente.” (Lucas 15:13).
As conseqüências da libertinagem são terríveis, alguém que vive na libertinagem está com a mente cauterizada, não resplandecendo na vida dele a luz para a santidade com Deus e sua Palavra, nós temos que ser zelosos, e não andarmos como o filho pródigo que saiu de casa para andar dissolutamente. Para os libertinos, a pornografia não é pecado, as roupas indecentes também não, a vaidade exacerbada também não, as bebedices, as músicas mundanas, a fornicação, a masturbação, o “ficar”; tudo isso para eles não são repudiados como sendo pecado. Porém, todas estas coisas citadas anteriormente são repudiadas pela Palavra do Senhor.    
A pornografia, a lascívia, a fornicação, a masturbação, o “ficar”, são todos pecados sexuais ligados à prostituição, todos abomináveis ao Senhor. A vaidade pode ser uma forma de lascívia, as bebedices são repudiadas pela Palavra e as músicas profanas (aquelas imorais e as que em suas letras proclamam mensagens antibíblicas) são formas de entrelaçar-se com o mundo. Veja o que diz a Bíblia: “Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, prostituição, impureza, lascívia,” (Gálatas 5:19). “Que do mesmo modo as mulheres se ataviem em traje honesto, com pudor e modéstia, não com tranças, ou com ouro, ou pérolas, ou vestidos preciosos,” (I Timóteo 2:9). “Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus.” (Gálatas 5:21). “Porque é bastante que no tempo passado da vida fizéssemos a vontade dos gentios, andando em dissoluções, concupiscências, borrachices, glutonarias, bebedices e abomináveis idolatrias;” (I Pedro 4:3). “Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos fornicadores, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte.” (Apocalipse 21:8). “Tens, porém, isto: que odeias as obras dos nicolaítas, as quais eu também odeio.” (Apocalipse 2:6).

Agora vamos tratar sobre o que é legalismo:
“Caráter de doutrina que, em quaisquer circunstâncias, prescreve a estrita obediência à lei e o respeito às instituições.”
                                                              (Dicionário Aurélio).

O legalismo cristão é baseado em concepções distorcidas acerca do que ensina a Palavra de Deus. Para os legalistas tudo é pecado, para ser santo deve-se isolar de tudo e de todos de forma radical, para, segundo eles, não se contaminar. Vemos algumas igrejas fundamentadas em doutrinas legalistas como a Igreja Pentecostal Deus é Amor, a Congregação Cristã do Brasil, entre outras.
O legalismo sufoca a liberdade que há em Cristo; uma pessoa legalista geralmente é mal-humorada e tem a simpatia de poucos na sociedade. O legalismo foi duramente combatido por Cristo na pessoa dos fariseus, que valorizavam os preceitos, as leis e desprezavam as virtudes que estavam acima da lei como o perdão, amor, etc.
Veja algumas frases de legalistas:

A televisão é o olho da besta!”

“Lazer é coisa para mundanos, nós somos santos e o nosso lazer é orar e jejuar!”

“Não devemos ir a uma pizzaria, ou sorveteria, pois não devemos assentar em rodas de escarnecedores.”

“A bola de futebol é o ovo do capeta!”

“Guitarra é instrumento do diabo!”

“O rock, rap, e outros estilos musicais, foram inventados pelo diabo!”

“Beijar é pecado”.

“Sorrir é pecado! Por acaso já viu na Bíblia que Cristo alguma vez sorriu?”

“Computador e internet são invenções da nova-era”.

“Irmão que usa short está nu perante Deus!”

“Irmã que usa calça está pecando”.

“Usar sabonetes, xampu, perfume, creme, hidratante, desodorante. São vaidades e Cristo condena quem faz uso destas coisas.”

“Namorar antes de casar-se é mundanismo.”

“Dançar qualquer tipo de dança é pecado”.


Estas e muitas outras frases também assim como os libertinos fazem, são pegos de versículos distorcidos da Palavra de Deus. Por exemplo: a Bíblia fala através de Paulo que quando ele era menino, fazia coisas de menino; mas quando tornou-se adulto, deixou as coisas de menino. Esta afirmação de Paulo é o suficiente para muitos legalistas dizerem que andar de bicicleta ou jogar futebol, é pecaminoso por serem “coisas de menino”. A Bíblia diz também que quando Cristo vier não estejamos sem as nossas vestes; isso é o suficiente para muitos não dormirem nem mesmo tomar banho sem roupa, para quando Cristo vier não “pegá-los nus”. Todas as duas referências estão fora de suas reais interpretações. Na afirmação de Paulo, o Apóstolo falava acerca de maturidade e atitudes de responsabilidade; na segunda afirmação, Cristo trata de vestes de santidade, e não vestes literais. Porém, infelizmente muitos interpretam erradamente a Bíblia e pronunciam absurdas frases como as citadas acima. Olhe o que a Palavra diz acerca do legalismo: “ORA, quanto ao que está enfermo na fé, recebei-o, não em contendas sobre dúvidas. Porque um crê que de tudo se pode comer, e outro, que é fraco, come legumes. O que come não despreze o que não come; e o que não come, não julgue o que come; porque Deus o recebeu por seu.” (Romanos 14: 1-3). “Eu sei, e estou certo no Senhor Jesus, que nenhuma coisa é de si mesma imunda, a não ser para aquele que a tem por imunda; para esse é imunda.” (Romanos 14:14). “Ai de vós, escribas* e fariseus*, hipócritas! pois que dizimais a hortelã, o endro e o cominho, e desprezais o mais importante da lei, o juízo, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer estas coisas, e não omitir aquelas.” (Mateus 23:23).   Não é boa a vossa jactância*. Não sabeis que um pouco de fermento faz levedar toda a massa?
 Alimpai-vos, pois, do fermento velho, para que sejais uma nova massa, assim como estais sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado por nós. Por isso façamos a festa, não com o fermento velho, nem com o fermento da maldade e da malícia, mas com os ázimos* da sinceridade e da verdade. Já por carta vos tenho escrito, que não vos associeis com os que se prostituem; Isto não quer dizer absolutamente com os devassos deste mundo, ou com os avarentos, ou com os roubadores, ou com os idólatras; porque então vos seria necessário sair do mundo.” (I Coríntios 5:6-10).  
Diante do legalismo e da libertinagem, qual posição tomar?   
O versículo a seguir pode servir de base para tomarmos uma posição: “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma.” (I Coríntios 6:12).
Todas as coisas me são lícitas” mostra que nem tudo é pecado, há coisas que são naturais do ser humano, que faz bem a ele e não é condenável pela Bíblia. A televisão não é pecado, há programações que são pecaminosas; as revistas não são pecaminosas, há revistas com conteúdos pecaminosos; a internet não é pecado, há sites que são pecaminosos; em tudo devemos fazer como diz o versículo a seguir: “Examinai tudo. Retende o bem.” (I Tessalonicenses 5:21). Por outro lado, “nem todas as coisas convém” mostra que há coisas que o crente não deve ter contato. Conteúdo pornográfico, relacionamento escandaloso, práticas mundanas como as bebedices, por exemplo; festas mundanas, etc. Não convém para um crente que deve andar como Cristo andou praticar tais coisas, o cristão deve tomar seguinte posição: “Abstende-vos de toda a aparência do mal.” (I Tessalonicenses 5:22).
Sendo assim, podemos concluir que o crente deve ser moderado e alicerçado na sã doutrina, não dando espaço para a libertinagem e não sufocando com doutrinas humanas legalistas, tudo que o crente ouvir acerca de alguma coisa ser pecado ou não, deve analisar o que diz a Palavra do Senhor e pensar se Cristo faria o que me foi proposto se estivesse em meu lugar, assim cresceremos na graça e no conhecimento do Senhor.